25 Oct

Se depender do governo federal, os preços dos combustíveis deverão seguir sua natureza nos próximos meses. A afirmação é do próprio presidente da República, Jair Bolsonaro, que garantiu que a Petrobras vai continuar executando, sem interferências, em sua atual política de preços. A declaração foi dada no domingo, 24, às vésperas de um novo reajuste no preço.

Segundo Bolsonaro, há conversas entre ele e o ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre o futuro da estatal. No entanto, ele garantiu que apesar dos constantes aumentos, o governo deve ficar de fora de qualquer interferência neste e em outros setores. “Não tenho poderes para interferir na Petrobras. Tenho conversado com o Paulo Guedes sobre o que propormos fazer com ela para o futuro. É um monopólio, a legislação a deixa praticamente independente. Eu indico o presidente [da empresa], e nada mais que isto”, disse.

Conforme Bolsonaro, o aumento dos combustíveis não é exclusividade do Brasil. Ele afirmou que com a alta no preço do petróleo no mercado internacional e a valorização do dólar no país, será impossível segurar novos reajustes nos próximos dias. “Infelizmente, pelo preço do petróleo lá fora e o comportamento do dólar aqui dentro, teremos um novo reajuste do preço dos combustíveis a partir de amanhã [25]. Prevendo isto, nós discutimos bastante um auxílio aos caminhoneiros. Sabemos que é pouco, R$ 400 mensais, mas estamos fazendo isto no limite da responsabilidade fiscal”, afirma.

Foto: Reprodução / Jair Messias Bolsonaro

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.