04 Oct
04Oct

Desde o início do Censo, em 01 de agosto, até o domingo, 2 de outubro, já foram recenseadas 104.445.750 pessoas, em mais de 36 milhões de domicílios brasileiros. O total de entrevistadas corresponde a 49% da população estimada do país. Os dados fazem parte do segundo balanço do Censo 2022, divulgado na segunda-feira, 3 de outubro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Por unidades da Federação, 42% das pessoas ouvidas estavam na Região Sudeste; 27% no Nordeste; 14,3% no Sul; 8,9% na região Norte e 7,8% no Centro-Oeste. Até o momento, as mulheres são maioria: 52%, frente a 48% de homens.

Mais de 860 mil e 300 indígenas já foram recenseados. Seguidos por 740 mil 923 quilombolas.

O estado mais adiantado em termos de percentual é Sergipe, seguido por Rio Grande do Norte e Piauí. Já o Mato Grosso, Roraima e Acre são os que têm menor percentual de setores trabalhados.

De acordo com o IBGE, até o momento, a maior parte dos questionários foi respondida de forma presencial, contra 81.620 domicílios que optaram por responder pela internet e 85.309 pelo telefone.

Em relação ao tipo de questionário, mais de 88% dos domicílios responderam ao formulário básico e 11,8 ao ampliado.

Em todo o país, o IBGE conta com 95.448 recenseadores em ação, o que significa pouco mais de 52% do total de vagas disponíveis. O estado com maior déficit de pesquisadores é o Mato Grosso, com apenas 36,8% do número de vagas ocupadas. De acordo com o IBGE, novos recenseadores serão convocados ao longo do processo.

Fonte: Radioagência Nacional
 Foto: Reprodução

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.