10 Aug

Se tudo der certo como esperam os deputados, a partir de 2024, as eleições não terão mais segundo turno. A votação do texto-base da reforma política ocorreu na noite de segunda-feira, 9 de agosto, sendo aprovada pela maioria dos integrantes da comissão especial que debate sobre o assunto. Agora, o parecer segue para discussão no plenário da Casa legislativa.

A reforma política prevê ainda a manutenção do modelo de voto preferencial, onde o eleitor poderá votar em até cinco candidatos a presidente, governador ou prefeito, em ordem decrescente de preferência, acabando com a possibilidade de realização de segundo turno para cargos majoritários. Com isso, seria eleito o candidato que obtiver a maioria absoluta das primeiras escolhas do eleitor, não computando votos brancos e nulos.

Além dessa mudança, a partir de 2026, o sistema eleitoral deverá adorar o chamado “distritão misto”, onde metade das vagas seriam ocupadas pelos candidatos mais votados e a outra pelo sistema proporcional. Para o pleito do ano que vem, a ideia é de que apenas sejam eleitos os candidatos com maior número de votos e em 2024, as coligações voltam a valer de forma definitiva.

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.