12 Mar

Segundo Leite, apesar da abertura de novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o alerta para o limite de material e recursos humanos foi ligado

O governador do Estado, Eduardo Leite (PSDB) fez um alerta durante pronunciamento nas redes sociais na manhã desta sexta-feira, 12, alertando sobre a possível escassez no mercado de profissionais da área da saúde no tratamento contra o novo coronavírus. Segundo o chefe do Executivo, além do número reduzido de pessoas livres para contratação, quem está na linha de frente acumula sobrecarga e exaustão, ainda mais, neste período de alta no número de infectados e mortos.

Segundo Leite, apesar da abertura de novos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), o alerta para o limite de material e recursos humanos foi ligado. "É muito leito de UTI, mas temos um limite material e humano. Não há profissionais de saúde em número suficiente para um crescimento sem fim, e os profissionais de saúde, cada vez mais raros, estão absolutamente exaustos”, observa.


Para facilitar a comunicação entre os municípios, o Governo criou uma plataforma de cadastro de profissionais voluntários da área da saúde. O sistema foi reativado após aumento no número de internações hospitalares em todas as regiões do Rio Grande do Sul. O espaço busca por fisioterapeutas, médicos, psicólogos e outros profissionais da saúde.

Durante o pronunciamento, Leite falou sobre a manutenção das medidas mais restritivas até o dia 21 de março. Segundo ele, os efeitos da bandeira preta no modelo de distanciamento controlado deverão levar mais algum tempo para serem notados nas redes de saúde. Porém, pediu, mais uma vez, que a sociedade gaúcha faça a sua parte. "Precisamos de bom senso, responsabilidade e solidariedade nesta guerra. Estamos fazendo absolutamente tudo para melhorar a capacidade do sistema no atendimento à atual demanda da Covid-19 no RS”, reforça.

As medidas mais duras – suspensão da cogestão regional e aplicação de protocolos de bandeira preta em todo o Estado – seguem vigentes pelo menos até o dia 21 de março. Já a suspensão geral de atividades entre 20h e 5h deve durar até 31 de março.  


Foto: Reprodução

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.