28 Oct

Conforme o gabinete de crise, a obrigatoriedade será direcionada apenas às séries da Educação Básica, que envolve Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio

Uma mudança nos protocolos sanitários voltados à área da educação, torna obrigatório o retorno de alunos das redes pública e privada do Rio Grande do Sul para as salas de aula. A decisão foi divulgada na quarta-feira, 27, pelo gabinete de crise do governo do Estado. Apesar da decisão, a data para retorno obrigatório ainda não foi divulgada. 

Até o momento, a participação presencial era executada com parte de alunos em sala de aula e outra em casa, no formato híbrido. Além disso, entre os protocolos em vigência estavam o distanciamento de um metro entre uma classe e outra dentro das salas de aula. Até o momento, o governo não detalhou como irão funcionar as novas medidas. 

Conforme o gabinete de crise, a obrigatoriedade será direcionada apenas às séries da Educação Básica, que envolve Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. Já para o Ensino Superior, por exemplo, o formato de ensino (presencial e híbrido) deverá permanecer o mesmo. 

Apesar da decisão, o governo deve manter o ensino híbrido para estudantes que tenham comorbidades que impossibilitem do envio à escola. No entanto, detalhes sobre como funcionarão os novos regramentos para esta possibilidade ainda serão discutidos junto a Secretaria Estadual de Educação (Seduc).

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.