21 Jan
Indignado com a falta de luz, vereador de Encantado aciona a Justiça após prejuízos de produtores

O vereador de Encantado, Cris Costa (PSDB), após ouvir relatos desesperados de produtores rurais, acionou a Justiça para buscar alternativas que visem amenizar os diversos prejuízos causados pelas constantes faltas de energia elétrica, em especial, nesta última semana após um temporal que assolou a área urbana e rural do município. De acordo com as algumas informações, em diversos locais, a falta de luz perdurou por mais de 50 horas. 

Entre os prejuízos apontados pelo edil estão a morte de frangos e suínos, causados pela não alimentação e o forte calor, bem como o descarte da produção de leite que não pode ser mantido sem refrigeração adequada. Através da promotora Daniela Schwab, o vereador pretende acionar a RGE, concessionária responsável pelo fornecimento de energia elétrica na cidade. “É lamentável deixar um produtor nesta situação. Eles já estão sofrendo com a falta de água em função da estiagem e agora com a falta de luz. Os prejuízos são enormes”, afirma Costa.

De acordo com a orientação que partiu da própria promotora de Justiça, Costa iniciou um levantamento de informações sobre valores estimados em prejuízos de cada propriedade, tempo em que o local ficou sem energia elétrica, protocolos encaminhados à concessionária de luz, entre outros. Para agilizar o processo, Costa fez um apelo nas redes sociais pedindo que moradores de Encantado que tenham sofrido algum prejuízo com a falta de luz entrem em contato para realizar o levantamento. "É um descaso o que a RGE está fazendo com nossa região. Temos consciência dos problemas causados pelo temporal, mas isso já se arrasta por muito tempo e o problema não se resolve, não há plano de emergência, dizem que investiram milhões na região, vieram e cortaram nossas árvores para não prejudicar a rede", afirma.

A expectativa é de após o recolhimento da documentação, na próxima semana Costa entre com a ação na Justiça. Um escritório de advocacia se prontificou a auxiliar nos trâmites da ação coletiva.

 Ministério Público dá prazo de 30 dias para RGE apresentar plano

Se por um lado, produtores precisam acionar a Justiça para tentar amenizar os danos provocados pela falta de luz, por outro, o Ministério Público também atua para cobrar respostas e planos da empresa fornecedora de energia. Na quinta-feira, 20, durante reunião na sede do MP em Porto Alegre, ficou definido que a RGE deve apresentar, em 30 dias, um plano de investimentos específicos para o Vale do Taquari, com o objetivo de sanar os problemas que arrastam-se há anos.

O encontro contou com a participação do procurador-geral de Justiça, Marcelo Lemos Dornelles, representantes da empresa, Assembleia Legislativa, prefeitos, lideranças e entidades do Vale, produtores rurais e empresários.  


Comentários
* O e-mail não será publicado no site.