08 Mar
Lideranças regionais criticam plano de concessão de rodovias

Um encontro entre lideranças regionais que compõem a Câmara da Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari (CIC-VT) realizado na segunda-feira, 7 de março, rechaçou o plano de concessão das rodovias do Rio Grande do Sul. Em nota, a entidade critica as decisões tomadas e ameaça entrar na Justiça para que o modelo seja revisado antes de ocorrer o leilão dos trechos. 

Assinado pelo presidente do CIC-VT, Ivandro Rosa, a nota pontua diversos aspectos que não teriam sido levados em consideração no momento da montagem do plano e que acabariam prejudicando o empresariado do Vale do Taquari. 

A nota, publicada nesta terça-feira, 8 de março, informou que a reunião realizada no dia anterior também contou com a presença de representantes da Federação das Empresas de Logística e de Transporte do Rio Grande do Sul (Fetransul). No documento, as lideranças pedem ainda que o governo do estado suspenda o prosseguimento do plano para que ocorram mais diálogos afim de suprir possíveis gargalos no projeto.

O CIC-VT diz ainda que em 2012, um estudo técnico já havia sido realizado e que os recursos investidos neste novo plano são "desperdício de dinheiro público". "Este, além de não atender aos anseios da população, poderá tornar a rodovia numa estrada da morte, por absoluta falta de obras de engenharia que evitem os constantes congestionamentos já existentes e que irão se multiplicar com o ascendente trânsito de veículos pesados que a Região possui", afirma a nota.

Nota Oficial

Em reunião na noite de 07/03/2022, realizada na Associação Comercial e Industrial de Lajeado, sob coordenação da Câmara da Indústria, Comércio e de Serviços do Vale do Taquari (CIV-VT), reuniram-se empresários do setor de transportes e de outros segmentos produtivos da Região, para conhecimento e discussão de detalhes e das obras destinadas ao Vale do Alto Taquari, incluído no Grupo 2, do Programa logístico do Governo do Estado.  O encontro contou com a explanação de estudos técnicos de composição da tarifa e comparação com outros cenários por parte da Federação das Empresas de Logística e de Transporte de Cargas do Rio Grande do Sul (Fetransul).

Admirados com a falta de sintonia com os anseios empresariais e da população do Vale, e do desperdício de dinheiro público e privado que irá ocorrer, em razão das falhas observadas, obrigam-se a manifestar publicamente sua discordância com o projeto apresentado. E pedem ao Sr. Governador do Estado a imediata sustação da edição do respectivo Edital de concorrência pública, para a concessão dos trechos e obras previstas, não afastando a possibilidade de suas entidades representativas ingressarem com medidas judiciais para que o mesmo seja sustado e revisado.

Adicionalmente, o fato de não levar em conta estudo técnico minucioso, realizado ainda em 2012 e custeado por Prefeituras da própria Região, além de desperdiçar as verbas públicas por elas empregadas, também contribuiu na falta de visão dos autores do projeto agora apresentado. Este, além de não atender aos anseios da população, poderá tornar a rodovia numa estrada da morte, por absoluta falta de obras de engenharia que evitem os constantes congestionamentos já existentes e que irão se multiplicar com o ascendente trânsito de veículos pesados que a Região possui.

Importante dizer que as entidades empresariais sempre foram favoráveis à concessão das rodovias ao setor privado, mas através de projetos que busquem a solução de problemas e não a criação de novos e mais graves, ao afastar-se da discussão que deve ser realizada nestes casos, entre Estado e população, setor produtivo, comunidades e os municípios regionais, assegurando alavancagem econômico-social, regional e estadual, de longo prazo e, principalmente, salvando vidas.

Vale do Taquari (RS), 08 de março de 2022.

Câmara da Indústria, Comércio e Serviços do Vale do Taquari

Ivandro Carlos Rosa
Presidente

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.