01 Sep
Ministério Público pede abertura das cancelas do pedágio em Encantado

Um novo processo exigindo que as cancelas do pedágio na ERS-130, em Palmas, interior de Encantado, foi encaminhado pelo Ministério Público à Justiça. O pedido foi entregue na tarde de terça-feira, 31 de agosto, pelo promotor André Prediger. Foram duas ações exigindo o fim das cobranças que se prolongam há mais de uma década, prejudicando, no entender o promotor, a comunidade. 

Segundo Prediger, a Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR), concessionária que administra o trecho, não cumpre com as obrigações estabelecidas para melhoria do trecho pedagiado. Além disso, segundo as ações, não há investimentos e nem serviços de atendimento aos motoristas que trafegam pelo trecho. 

A disputa judicial para suspender as cobranças no pedágio de Encantado teve início ainda em 2013, quando o Ministério Público entrou com uma ação, em razão da falta de serviços de guincho e socorro de ambulância, uma vez que a EGR recém havia assumido o controle das concessões no local e não havia inserido os serviços básicos no trecho. Naquela época, a cobrança na praça foi suspensa por 30 dias. 

Em 2017, uma nova ação pedia que o reajuste de 35% nas tarifas fosse proibido. Em 2019, um novo pedido foi encaminhado pelo MP, solicitando o fim da cobrança das tarifas. 

Foto: Reprodução

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.