19 Oct

O Ministério Público do Rio Grande do Sul (MPRS), pediu à Justiça o afastamento do prefeito de Guaporé, Valdir Carlos Fabris (PDT), por suspeitas de irregularidades em contratos referentes à coleta de lixo na cidade. Além do chefe do Executivo, há também a inclusão de afastamento da secretária de Meio Ambiente, Monia Zampeze e do assessor jurídico da prefeitura, Daniel Zorzi.

A ação movida pelo MPRS pede ainda que os bens dos envolvidos sejam bloqueados e investigados no processo. De acordo com a denúncia, há indícios de que houve direcionamento de licitação, tentativa de barrar participantes do certame e uma empresa teria sido incitada a pagar propina para manutenção dos contratos. 

Em agosto do ano passado, uma operação liderada pelo MPRS cumpriu mandados de busca e apreensão na prefeitura de Guaporé e também em empresas e residências da região. Na época, crimes ligados à corrupção passiva, irregularidades nos formatos de dispensa de licitação e possíveis desvios de recursos públicos estavam sendo investigados. 

Segundo o promotor Cláudio Leiria, caso seja comprovada a responsabilidade dos agentes públicos, eles terão que ressarcir os cofres públicos. Os três agentes públicos já foram intimados pela Justiça. Após a manifestação, o juiz da 2º Vara Judicial de Guaporé deve decidir se acolhe ou não o pedido do Ministério Público.

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.