07 Oct

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, voltou a defender o fim gradual da utilização de máscaras no país. Ele reiterou que o equipamento de proteção seja facultativo em ambientes públicos e obrigatório em lugares onde haja aglomeração de pessoas. A declaração foi dada na quarta-feira, 6 de outubro.

Segundo Queiroga, o governo já estuda a possibilidade de flexibilização nos próximos meses. Ele afirma que, com o avanço da vacinação no país e a pouca efetividade da obrigatoriedade sejam os principais motivos para uma possível liberação. No entanto, o ministro não informou quando o governo divulgará um parecer técnico que recomende o término da utilização do equipamento. “Essas questões estão sendo tratadas pela área técnica e logo que tenhamos uma posição nós vamos informar à população do Brasil”, disse.

A orientação, segundo Queiroga, é de que estados e municípios permaneçam cumprindo as determinações sanitárias impostas pelos órgãos de saúde e que não tentem antecipar a liberação do uso sem o aval do governo federal, independente da situação epidemiológica que cada local esteja enfrentando. “Todos nós ficamos muito ansiosos com essa questão da pandemia. Vamos trabalhar para trazer mais tranquilidade sanitária ao país. Eu tenho conversado bastante com o presidente Jair Bolsonaro, e ele tem nos dado muito apoio para que nós possamos realizar as políticas públicas do interesse da sociedade. A gente está vivendo um momento melhor e vamos continuar trabalhando juntos”, destaca.

Foto: Wilson Dias / Agência Brasil

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.