04 Aug

Riscos como grandes aglomerações, relaxamento das medidas de distanciamento social, importação de novas variantes e possível aumento de contágio são fatores a serem analisados pelos organizadores do evento

Pelo menos 73,86% das pessoas que participaram de uma enquete promovida pelo Portal Na Hora nas redes sociais não querem que a Semana Farroupilha de Muçum seja realizada de forma presencial em 2021. A maioria esmagadora acha que ainda não é o momento para relaxar medidas e provocar aglomerações quando menos da metade da população local tenha completado o esquema vacinal com as duas doses ou a vacina em dose única. Além disso, o relaxamento de medidas de distanciamento social, com a realização de almoços e jantares dentro das barracas, sem a utilização de máscaras, a chegada de novas variantes, entre elas, a Delta, de maior contágio, são fatores que deverão ser pautados durante a reunião marcada para a noite desta quarta-feira, 4 de agosto, a partir das 19h, na Sociedade Fortes e Livres de Muçum.

Até o fechamento desta matéria, 176 pessoas haviam participado da enquete, que fazia a seguinte pergunta: "Você é a favor ou contra a realização da Semana Farroupilha de Muçum em 2021?". Desse total, 130 entrevistados são contrários ao evento. Já 38, acreditam que a realização deva acontecer de forma presencial, o que representa 21,59% e oito pessoas não tinha opinião formada sobre o assunto (4,54% dos participantes).

Entre as justificativas, o possível contágio com a variante Delta é o que mais amedronta a população, uma vez que durante o evento, caso seja realizado presencialmente, haverá circulação de pessoas de diferentes cidades, assintomáticas, podendo tornar o acampamento crioulo, na área central da cidade, em uma bomba-relógio, provocando aumento de casos nas semanas seguintes, bem como, o número de internações em leitos clínicos e Unidades de Terapia Intensiva. 

Decisão deve sair nesta quarta-feira

Com aprovação de mais de R$ 298 mil para captação de recursos junto a Lei de Incentivo à Cultura (LIC), o município corre contra o tempo para definir sobre a realização do evento. Há pelo menos dois anos a festividade, que até então era considerada a maior do Vale do Taquari, não é realizada em Muçum. Em 2019, a Prefeitura decidiu pela não realização, com objetivo de investir os recursos na revitalização da Estação Ferroviária. Na época, as expectativas eram de que o chamado Trem dos Vales começaria com viagens constantes, o que acabou não ocorrendo. Além disso, a escassez de recursos apontadas pela prefeitura foi fator determinante para cancelar o evento e frustrar as expectativas da comunidade e dos visitantes que prestigiam anualmente os festejos. No ano passado, o avanço da covid-19 foi responsável pelo cancelamento da festa.

Na reunião desta quarta-feira, 4 de agosto, além dos organizadores do evento, representantes de entidades participantes e um representante de cada barraca poderá participar da reunião e dar sua opinião sobre o evento. 

Semana Farroupilha de Porto Alegre não terá acampamento

O tradicional Acampamento Farroupilha, com piquetes instalados no Parque Maurício Sirotsky Sobrinho, em Porto Alegre, durante o mês de setembro, não será realizado neste ano. De acordo com a Secretaria da Cultura da Capital, as celebrações da Semana Farroupilha de 2021, assim como ocorreu no ano passado, serão em formato digital, com transmissões ao vivo de apresentações artísticas direto do Parque. 

Foto: Vitória Sturmer Bortoletti / Divulgação

 

 


Comentários
* O e-mail não será publicado no site.