25 Jul
Onyx Lorenzoni é confirmado candidato ao governo do RS pelo PL

O ex-ministro e deputado federal Onyx Lorenzoni (PL) foi confirmado na sexta-feira, 22, candidato ao governo do Estado pelo Partido Liberal. O nome do político foi oficializado durante convenção da sigla no teatro Dante Barone, na Assembleia Legislativa, em Porto Alegre. Ainda não há definido quem ocupara a vaga de vice na chapa. O MDB foi procurado ainda na sexta-feira, tendo sido oferecido o lugar, caso o partido não tenha candidato próprio. 

Em seu discurso, Lorenzoni prometeu transformar a vida dos gaúchos. Porém, não disse como. Com frases clichês para o período eleitoral, o aliado de Bolsonaro disse que o governador deve sair de dentro do Palácio Piratini e conhecer a realidade das pessoas. "O Rio Grande precisa de um governador que tenha a humildade de ouvir as pessoas".

No pronunciamento, Lorenzoni não mediu elogios ao atual presidente da República, Jair Bolsonaro, que é do seu partido, e críticas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Onyx chegou a dizer que as pesquisas de intenção de voto para a presidência da República é "mentira absoluta".

O ex-ministro não poupou críticas ao ex-governador e pré-candidato ao governo, Eduardo Leite (PSDB). Segundo Lorenzoni, Leite agiu mal durante a pandemia, responsabilizando o tucano pelo desemprego no RS. "Tínhamos um rapaz que governou o Rio Grande, que se trancou no Palácio, que pintava mapinha e ouvia pseudocientistas", disse. 

Integram a coligação do PL, o Republicanos, Pros e Patriota. O candidato ao Senado será o vice-presidente Hamilton Mourão (Republicanos). 

Onyx é médico veterinário e tem 67 anos. Já foi duas vezes deputado estadual e está em seu quinto mandado na Câmara dos deputados, em Brasília. No governo Bolsonaro, o gaúcho ocupou quatro ministérios. 

Para se livrar de uma ação na Justiça, Lorenzoni confirmou ter recebido dinheiro da JBS no chamado Caixa 2, durante as campanhas de 2012 e 2014, pagando multa de R$ 189 mil em troca do arquivamento de investigação da qual era alvo. 

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.