19 Nov

O Ministério da Saúde vai intensificar a vacinação contra a covid-19 a partir de sábado, 20, com o início da campanha de mega vacinação. A ideia é incentivar os cerca de 21 milhões de brasileiros com doses atrasadas a procurarem uma unidade de saúde e completar o esquema vacinal. Além disso, mais de 9,3 milhões de pessoas que deveriam ter recebido a dose de reforço ainda não compareceram aos postos para serem vacinados.

Para a terceira dose, o objetivo da pasta é alcançar toda a população com idade acima de 18 anos e que tenha concluído a imunização há pelo menos cinco meses. Segundo o ministério, ao todo, 158 milhões de pessoas fazem parte do público-alvo para a dose de reforço.

Em nota, o Ministério da Saúde salientou que a campanha é voltada para todos os imunizantes utilizados na vacinação desde o início do ano. “A partir de agora, também muda o intervalo para aplicação da dose de reforço, reduzindo de seis para cinco meses após a conclusão do ciclo vacinal. A recomendação vale para todos os imunizantes usados na campanha. Essa orientação é baseada em pesquisas científicas que apontam uma queda na resposta imune, principalmente, a partir do quinto mês após a dose dois”, informa.

A medida ocorre após aumento de casos, internações e mortes por covid-19 em países do continente europeu, onde a vacinação sofre para avançar, provocando uma nova onda de contágios. Para evitar que a situação ocorra no Brasil, a mega campanha quer acelerar a aplicação das doses de reforço. Entre as medidas, o governo antecipou para cinco meses, o intervalo de tempo de quem completou o esquema vacinal para receber a terceira dose.

A mudança do intervalo de tempo faz com que mais de 100 milhões de brasileiros estejam aptos para tomar a dose de reforço, por já terem completado a imunização há pelo menos 5 meses. O ministério trabalha com a estimativa de aplicar pelo menos 12,5 milhões de doses de reforço em novembro e 2,9 milhões em dezembro.

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.