26 Oct
Pastor deixa carta afirmando que ressuscitaria três dias após a sua morte e viúva não libera o corpo para enterro

A cidade de Goiatuba, em Goiânia, foi palco de uma história tanto quanto inusitada nesta semana. Um pastor deixou uma carta dizendo que após três dias de sua morte iria ressuscitar. Na sexta-feira, 22, Carlos Rodrigues, morreu em decorrência de complicações cardiorrespiratórias. Em razão do ocorrido, a viúva do pastor não liberou o corpo para que fosse sepultado, uma vez que em 2008, Rodrigues escreveu uma carta, afirmando ter tido revelações do Espírito Santo e que ressuscitaria às 23h30min do terceiro dia depois de sua morte. 


Por conta da situação, o corpo do pastor ficou em uma sala de refrigeração funerária até o prazo dado se cumprir. Na segunda-feira, 25, uma multidão de fieis se dirigiu até o local onde o corpo permaneceu, aguardando a suposta ressurreição. Na carta, Rodrigues proibia que o corpo passasse por qualquer preparação antes do prazo estipulado pela visão. “Minha integridade física tem que ser totalmente preservada, pois ficarei por três dias morto, sendo que no 3ª dia, eu ressuscitarei. Meu corpo durante os três dias não terá mau cheiro e nem se decomporá, pois o próprio Deus terá preparado minha carne e meu cérebro para passar por essa experiência”. A declaração não foi registrada em cartório, mas foi assinada por duas testemunhas.

Passavam das 23h30min de segunda-feira, horário definido pelas revelações, e o pastor continuava morto, frustrando quem continuava no local, aguardando uma boa notícia. 

Devido o caso, a Vigilância Sanitária de Goiatuba notificou a funerária e ordenou que o corpo fosse sepultado imediatamente, observando as resoluções municipais. Centenas de pessoas acompanharam o sepultamento nesta terça-feira. Vídeos mostram uma multidão aguardando o cortejo. Eles cantaram em homenagem ao pastor. O enterro aconteceu às 0h30min.

Foto: Reprodução/Facebook

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.