10 Feb
Pedágio de Encantado pode ter tarifa próxima dos R$ 10

As tarifas da praça de pedágio de Encantado poderão chegar próximas dos R$ 10, caso o plano de concessões das rodovias estaduais seja finalizado e colocado em ação. Os valores reajustados foram apresentados na quarta-feira, 9 de fevereiro, durante reunião em formato híbrido, entre representantes do governo do RS e lideranças regionais. O aumento no valor é decorrente das inclusões de obras e melhorias nos trechos que deverão ser concedidos à iniciativa privada ainda neste ano. 

De acordo com o novo pacote, o valor cobrado em Encantado poderá chegar a R$ 9,67. Inicialmente, a tarifa estava prevista em R$ 9,20. Além disso, o estudo apresentado propõe que as praças permaneçam nos atuais locais onde hoje funcionam. 

A notícia caiu como uma bomba no colo dos representantes do Vale do Taquari, que criticam a proposta e não concordam com as novas atualizações apresentadas pela equipe do governo. 

A elevação ocorre em virtude de uma série de exigências e pontos apresentados pela região, entre eles, a redução do prazo de obras, novas vias marginais, inclusão de faixas adicionais e construção de ciclovia. Nos próximos anos, estão previstos mais de R$ 6,2 bilhões em investimentos nos trechos que pertencem ao bloco dois do plano de concessões. Todas as alterações foram decisivas para o aumento no valor da tarifa.

Segundo o governo, a mudança da praça de pedágio que divide a cidade de Encantado teria um gasto próximo de R$ 10 milhões. Indagados sobre a possibilidade de instalar o local entre Lajeado e Arroio do Meio, o governo foi implacável e descartou, neste primeiro momento. A justificativa apresentada para isso, é o crescente fluxo urbano entre os dois municípios. No entanto, a definição de onde todas as praças de pedágio serão implantadas nas rodovias que compõe o bloco dois só ocorrerá após a assinatura do contrato. 


Região deve avaliar ajustes

Se por um lado, o encontro apresentou novas propostas, por outro, é momento das entidades e lideranças analisarem o que foi colocado à mesa. Quase tudo o que foi solicitado pelo Vale do Taquari foi colocado no projeto. Conforme o prefeito de Colinas e presidente da Associação dos Municípios do Vale do Taquari (Amvat), Sandro Herrmann, apesar do alto valor na tarifa, as concessões são o único jeito para melhorar a situação viária da região. “Não vamos ter essas melhorias em 30 anos se depender do poder público", afirma. 

Já o prefeito de Encantado, Jonas Calvi, a proposta apresentada não satisfaz as necessidades do município e de cidades do entorno. Segundo ele, além de não contemplar rodovias importantes, como é o caso da ERS-332, conhecida também, como Rota da Erva-Mate, a nova proposta sugere investimentos em outra rodovia que não contribui com o pagamento do pedágio nas cidades de Encantado e Cruzeiro do Sul. "A região preferiu dar prioridade à Via Láctea, onde o fluxo não contribui com os pedágios do Vale. Os motoristas da parte alta vão pagar para manter outra estrada", desabafa. 

Segundo Calvi, a região deverá permanecer dividida, caso a ideia seja aceita pela maior parte dos prefeitos. O gestor de Encantado que que a Amvat realize uma nova reunião para debater quais são as prioridades do Vale.

Tarifas de pedágio

Cidade – Versão inicial – Plano revisado

Encantado – R$ 9,20 – R$ 9,67

Cruzeiro do Sul – R$ 8,87 – R$ 9,15

Boa Vista do Sul – R$ 9,15 – R$ 9,59


Comentários
* O e-mail não será publicado no site.