01 Nov

O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse, nesta segunda-feira, 1º de novembro, que a Petrobras programa um novo aumento no preços dos combustíveis para daqui 20 dias. A informação foi dada durante visita do político à cidade de Anguillara Veneta, na Itália. Segundo ele, com a possibilidade de mais um reajuste, o assunto deverá ser discutido após seu retorno ao Brasil, marcado para a terça-feira, 2 de novembro. 

Em sua fala, Bolsonaro jogou a culpa da situação para o presidente da estatal, Joaquim Silva e Luna. Segundo o presidente, um novo reajuste não pode ocorrer. “Esta semana vai ser um jogo pesado com a Petrobras, porque eu indico o presidente, quer dizer, tem que passar pelo conselho, não sou eu que indico, e tudo que de ruim acontece lá cai no meu colo. O que é bom não cai nada em meu colo”, disse. “A gente não aguenta porque o preço dos combustíveis está atrelado à inflação e falou em inflação, falou em perda do poder aquisitivo. A população não está com salário preservado ao longo dos últimos anos. Os mais pobres sofrem”, disse. 

Bolsonaro disse ainda que a alta no preço dos combustíveis é resultado das políticas públicas de governos anteriores e às leis antigas. O presidente culpou ainda o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), imposto estadual. Na semana passada, o Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), do qual integram secretários de Fazenda dos estados e do Distrito Federal, aprovou o congelamento do valor do ICMS cobrado nas vendas de combustíveis por 90 dias.

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.