10 Mar

A suspensão do repasse de recursos do governo federal para a manutenção de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), deve ocasionar o fechamento de 1.057 espaços no Rio Grande do Sul. A informação foi divulgada pelo governo do Estado na quarta-feira, 9 de março. Segundo os dados, os leitos que serão fechados são aqueles  destinados a pacientes infectados pela covid-19. A previsão era de que o fechamento ocorreria ainda no início de fevereiro, no entanto, acabou sendo adiado, em decorrência do avanço da variante Ômicron e da pressão de gestores municipais e estaduais. 

O acordo, definido em dezembro do ano passado, entre o Ministério da Saúde, Estados e municípios era de que os leitos de UTI fossem desativados, porém, parte deles deveria ser transformado em leitos permanentes. 

No Rio Grande do Sul, a estimativa da Secretaria Estadual da Saúde (SES) é de que sejam fechados 1.057 leitos de UTI e abertos 315 leitos da mesma área, porém, para pacientes com outras doenças. Mesmo com o fechamento, o Estado continuará com 1.450 leitos de UTI para o público geral – sendo 202 pediátricos e o restante adulto. Segundo o governo do Estado, o número é suficiente para atender a demanda, com base nas recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e Ministério da Saúde.

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.