22 Jun

Mais um ex-integrante do governo Jair Bolsonaro foi preso na manhã desta quarta-feira, 22. Dessa vez, o ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, foi detido em uma operação da Polícia Federal que apura indícios de corrupção, na época em que o pastor comandava a pasta. Além dele, outros dois religiosos, Arilton Moura e Gilmar Santos também foram alvo do trabalho da polícia. 

De acordo com as informações, as investigações apuram supostos desvios e direcionamentos de verbas do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para prefeituras. Além das três prisões, são cumpridos ainda mandados de busca e apreensão em endereços de Ribeiro e dos pastores.

A operação da PF, intitulada de Acesso Pago, tem como principal foco investigar a criação de um gabinete paralelo no Ministério da Educação que priorizava a liberação de recursos a prefeituras mais próximas dos líderes religiosos envolvidos.

Após as prisões, o presidente Jair Bolsonaro disse, em entrevista a uma rádio de Minas Gerais, que Ribeiro deve responder pelos seus atos. Apesar de mudar o discurso, em março passado, o presidente da República chegou a dizer que colocava a "cara no fogo" pelo ex-ministro.

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.