04 Aug

As vendas do chamado "Kit Covid", defendida incansavelmente pelo presidente da República Jair Bolsonaro, mesmo sem eficácia no tratamento do novo coronavírus, caíram nos primeiros quatro meses de 2021, em comparação ao mesmo período do ano passado. A informação foi divulgada em um levantamento do Conselho Federal de Farmácia (CFF). 

Produtos como a a vitamina C, que integrava o pacote de medicamentos, teve queda de 63%. Em 2020, em razão da suposta eficácia contra a covid-19, as vendas do insumo chegaram a aumentar 180% . A vitamina D, que também apresentou queda nas vendas de 41%, chegou a apresentar alta de 83% na comercialização nos primeiros quatro meses do ano passado. 

O medicamento defendido por Bolsonaro, a hidroxicloroquina apresentou redução, em 2021, de 34% nas vendas. Já a ivermectina, remédio para tratamento contra piolhos teve queda de 31%. No ano passado, esses dois medicamentos tiveram alta de 111% e 560%, respectivamente, se comparados ao mesmo período de 2019. O levantamento mostra também que o anitbiótico Azitromicina caiu 35% neste ano, após uma alta de 65% no primeiro quadrimestre de 2020. 

A chegada das vacinas e comprovação de que os medicamentos do Kit Covid não possuem eficácia no tratamento foram os principais fatores da queda, segundo o CFF. "É possível que a chegada da vacina aos braços dos brasileiros tenha neutralizado, em parte, a histeria que desencadeou uma verdadeira epidemia de uso irracional de medicamentos no país”, afirmou i farmacêutico consultor do CFF, Wellington Barros.

Comentários
* O e-mail não será publicado no site.